Composteira: o que é? Para que serve?

Apesar de o nome parecer um tanto estranho, o conceito de composteira é bastante simples de ser compreendido! Para se entender como a composteira funciona, primeiro é necessário que seja explicado o que é a compostagem, vamos lá?

O que é uma Compostagem

Então, a compostagem é um processo que envolve a transformação de materiais que podemos chamar de grosseiros, tais como estrume, penas, lixo doméstico orgânico, serragem, algas marinhas entre outros, em materiais que possam ser utilizados na agricultura.

O processo é realizado por milhares de microrganismos que se encontram presentes no solo que conta com matéria orgânica e que fazem dela a sua principal fonte de alimentação, obtendo dali sua energia, nutrientes minerais e carbono.

Justamente por isto, quando você observar uma pilha de composto, é necessário entender que aquilo não é apenas um monte de lixo empilhado. A compostagem é o melhor modo de fornecer as condições que os microrganismos precisam para degradar matéria orgânica e, assim, fornecer os nutrientes necessários para as plantas.

Agora vamos entender o que é a composteira e onde ela se encaixa neste processo. A composteira é um reservatório que pode ser encontrado em diversas formas, sendo elas: barril, tonel, recipientes criados a partir de tijolos, madeira, tela de aramo, entre outros.

A composteira normalmente é aberta no fundo e conta com uma tampa, para que possa ser tampado e assim proteger a compostagem do excesso de chuva. As composteiras podem ser encontradas de diversos tamanhos e são utilizadas por pessoas que têm interesse em fazer a compostagem, mas contam com pouco espaço para isso. Ou seja, as composteiras são os locais onde a compostagem feita é armazenada.

Benefícios da Composteira

À primeira vista, muitas pessoas não se interessam tanto pela compostagem, mas basta que os benefícios sejam explicados para que o conceito seja repensado. Pois estão, mostraremos alguns dos benefícios desta prática:

  • Reduz cerca de 50% do lixo gerado pelas residências. Já no caso das empresas, o índice vai variar de acordo com sua atividade desenvolvida;
  • Alivia a demanda por aterros sanitários, que atualmente se encontram sobrecarregados;
  • Reduz não só a emissão de poluentes, como também o uso de energia no transporte de lixo;
  • Evita a contaminação do solo, dos lençóis freáticos e da atmosfera;
  • Você produzirá fertilizantes de forma natural e gratuita;
  • Ao vê-lo trabalhando com a compostagem, certamente seus vizinhos e amigos também se interessarão;
  • Esta é uma atividade que gera economia. Para as residências, acaba com a necessidade de adquirir adubo para as plantas. Para as indústrias, reduz os custos da coleta de lixo;
  • O adubo gerado pode ser utilizado em jardins e hortas, assim como ser comercializado, sendo mais uma geração de renda para a família;
  • As minhocas que se desenvolvem rapidamente na composteira (minhocas vermelhas) têm um alto valor no mercado;
  • Para as empresas, há possíveis abonos fiscais pela redução de gás carbono;

Tipos de Composteira

Há muitas dúvidas acerca de como começar a trabalhar com a composteira, e a principal delas é qual tipo é o ideal para cada pessoa. Para descobrir, é necessário levar em conta alguns questionamentos: Qual o tipo de compostagem escolhido? Qual é o ambiente que você tem disponível para a sua composteira? Qual o tipo do volume de resíduos que serão decompostos? Quantas pessoas moram na sua residência? Pois a quantidade de pessoas definirá o volume.

Existem dois tipos de compostagem, sendo eles:

  • Vermicompostagem: Este tipo de compostagem é realizado a partir da ação de minhocas para ajudar os microrganismos que já existem em sua compostagem a fazer a decomposição da matéria orgânica.
  • Compostagem seca: Neste tipo de compostagem, apenas os microrganismos agem no composto, o que deixa o processo um pouco mais demorado.

Se você mora em um apartamento ou em uma casa pequena, o esperado é que você não disponha de lugares abertos ou de muito tempo. Logo, suas melhores opções são: composteiras secas manuais ou automáticas, ou a vermicompostagem feita em containers. A diferença mais marcante entre composteiras manuais e automáticas é que as automáticas reviram seu composto automaticamente, degradando tudo em 24 horas.

As composteiras para vermicompostagem são formadas por duas ou mais caixas de plástico empilhadas. As duas caixas de cima são chamas de caixas digestoras, onde os resíduos são compostos e a última serve para a coleta de chorume (líquido com odor desagradável provindo da compostagem). Esta caixa conta com uma pequena torneira para a saída do líquido. Normalmente este tipo de compostagem conta com 250 minhocas vermelhas.

Para aqueles que não são fãs de minhocas, há a compostagem seca. A diferença desta composteira, além de não ter minhocas, é a forma pela qual você irá mexer em seu composto. Este tipo de compostagem é mais demorado, uma vez que apenas os microrganismos serão responsáveis pela decomposição.

Você pode utilizar um recipiente próprio para isto ou então fazer direto sobre o solo. Neste tipo, o chorume fica armazenado junto com o composto, o que o deixa mais molhado do que aquele que conta com minhocas. Este é mais indicado para pessoas que vivem em condomínios ou comunidades, onde há mais pessoas gerando grande volume de resíduos.

Como funciona a Composteira

A composteira funciona de forma bem simples. Basta que você junte todos os resíduos orgânicos produzidos pela sua família e coloque-os em caixas próprias para compostagem (ou direto no solo, caso você tenha espaço para isso) e cubra com material vegetal seco (serragem ou folhas secas).

É necessário que o composto seja revirado durante os dias para que receba oxigênio. Se você optar pela vermicomposteira, em cerca de 60 dias você conseguirá obter o humus. Em composteiras secas, isso precisará de mais alguns dias.

Processo de transformação na Composteira

Para entender mais a fundo como se dá o processo de transformação da composteira, é necessário entender que o resultado do processo é o humus. Mas para chegar até o humus, é necessário que microrganismos (bactérias e fungos) reajam com os resíduos orgânicos disponíveis.

Tem que ser levados em consideração a temperatura, a umidade e a aeração para que tudo saia perfeito. A compostagem é um processo natural e que vale muito a pena ser realizado.

Tipos de Composteira

Composteira caseira

Se você se interessou em quer montar a sua em casa, saiba que é possível montar uma composteira caseira. Basta usar baldes ou caixas de plástico, desde que todas sejam do mesmo tamanho. Basta uma furadeira para fazer furos em uma das caixas, terra, algumas minhocas, material orgânico e material seco! Monte tudo e você conseguirá a sua própria composteira.

Composteira doméstica

A composteira doméstica nada mais é do que uma composteira que você pode montar em sua própria casa. Este modelo é mais voltado para a vermicompostagem e é indicado como uma solução para os resíduos urbanos. A composteira doméstica é ideal para a diminuição do lixo produzido, pois reduz o lixo que seria enviado a aterros e lixões, e ainda produz humus!

Composteira residencial

A composteira residencial é exatamente o mesmo que as composteiras domésticas e caseiras, ou seja, são aquelas composteiras no qual você pode organizar e montar de acordo com as suas preferências de caixa, tamanho, resíduo e etc.

Composteira orgânica

As composteiras orgânicas se referem explicitamente ao material usado em sua compostagem, ou seja, os resíduos orgânicos utilizados por famílias. Estes resíduos orgânicos são necessários tanto nas composteiras que utilizam minhocas quanto nas que não utilizam, aquelas que chamamos de compostagem seca.

Processo de Compostagem

O processo de compostagem é bastante simples, sendo acessível a qualquer pessoa. Inicialmente, é necessário que você compre a sua composteira ou monte a sua de acordo com as suas preferências. Você pode ainda montar a sua compostagem diretamente no solo, se preferir.

Basta que você junte seus resíduos orgânicos e terra (e minhocas, se não quiser compostagem seca). É necessário que a compostagem receba água, luz do sol e que seja revirada com frequência para que o composto seja oxigenado. Em cerca de dois meses você obterá o humus.

Manutenção da Composteira

A manutenção da composteira funciona de uma forma bem simples. Primeiro, é necessário ficar atento à temperatura do composto. As minhocas têm preferência para temperaturas entre 13° e 27°. Se a sua compostagem ficar muito acima ou muito abaixo desta temperatura você, certamente terá problemas.

Outro fator importante é a umidade, que deve ficar entorno de 50%. Para saber se o nível de umidade da sua composteira está adequado, basta pegar um punhado de composto e apertá-lo entre as mãos. Se suas mãos ficarem úmidas, a umidade está adequada. Se escorrer água, indica que está úmido demais e você deve ajustá-lo. Por fim, é necessário que você revire o composto com frequência para que ele receba oxigênio.

Quais resíduos vão na Composteira

Há uma infinidade de resíduos que podem ser utilizados, tais como: restos de alimentos, cascas de ovo, borra de café, podas de grama, folhas, serragem não tratada, alimentos cozidos ou assados em pequenas quantidades, estercos curtidos, entre outros.

Sistema da Composteira

O sistema da compostagem é bastante simples, sendo classificado como uma forma de reciclagem. Resumidamente, é o uso de resíduos extremamente comuns no dia a dia doméstico, que juntamente com terra, minhocas e um pouquinho de cuidado, resultará em humus de qualidade que é indicado para a adubagem de plantas.

Veja aqui tudo sobre Reciclagem.

Modelos de Composteira

Há três modelos de composteira. O que utiliza caixas e é manual, onde você precisa revolver o composto. Existe um segundo modelo que é uma composteira automática, que revolve a terrar por você. E um terceiro modelo, onde você pode fazer a sua compostagem diretamente no solo.

Veja aqui tudo sobre Agroecologia.